um dia



É agora. Chegou o momento em que levas o livro e o deitas fora, deixando-me assim folhas em branco para continuar a escrever com a minha história. Chegou o momento em que me dizes adeus e me deixas para trás. Não tenhas medo de sair, de bater com a porta e de fazer barulho. Eu hei-de fica bem. Já saí do precipício com feridas profundas que nem o tempo apaga. Leva tudo e deixa-me o futuro. Preciso do futuro para conseguir seguir em frente e esquecer-me de ti, das tuas mãos entrelaçadas nas minhas, dos passeios pelo jardim ao final da tarde, dos teus braços enrolados nos meus, dos meus sonhos contigo que projectava de dentro para fora como se conseguisse viver a eternidade em segundos. Quero a dor, a porta aberta para o sofrimento, o que não vivi. Quero o amanhã sem ti, sem um passado que agora me puxa mas que tanto mal me faz. Quero acordar amanhã e ser feliz, porque, afinal de contas, todos acabamos por o ser.. um dia.

1 comentário:

R. disse...

vais ser muiiiito feliz, acredita :D