surdez



Hoje não quero ouvir falar de amor. Nem de amor, nem de mimos e coisas engraçadas. Não quero ouvir falar de ti nem dos teus dramas. Não quero saber onde estás, nem com quem estás, nem como estás. Deixa-me ficar assim, surda.
Quando sofres e acabas por engolir tudo, a vida muda. A vida ganha um sentido completamente diferente do anterior. Quando sofres, os teus dias resumem-se à força que tens para te conseguires manter de pé. Não penses que é fácil (como tudo o que tiveste na vida), mas também não é impossível. Basta olhares para mim. Quando o fizeres não te foques no meu corpo, nem na minha falta disto ou daquilo. Faz como as crianças - olha-me para dentro e nunca te esqueças do que vires.
Sabes o que é que os corações têm lá dentro? Sangue quente pronto a descer e a aquecer as veias. A dor leve e morta, sempre presente nos cantos dos olhos. O leve som das músicas e dos poemas cheios de carinho, as promessas feitas com figas. Isto tudo coberto com aquilo que te atreves a chamar de amor. Meu querido, o amor é a insanidade permanente do coração.

5 comentários:

karina disse...

amei, completamente.

karina disse...

talvez seja só uma fase :s obrigada fofinha.

R. disse...

amei, e sinto-me como tu!

karina disse...

e tu também, podes contar cmg se precisares :)
somos ambas escorpião ahah

Cláudia disse...

Olha, estou exactamente como tu, desiludida com o amor, já nada me faz sentido, a minha vida já não faz mais sentido :x
Não sei como te ajudar, o que dizer, que conselhos te irei dar, porque estou como TU, não sou um exemplo de uma pessoa alegre e bem com a vida que lhe foi dada, para te dar.
A vida é assim, uns têm sorte, outros têm azar, e temos que suportar e aguentar as tristezas, a dor...
Gosto muito dos teus textos, são tão emocionantes, sinceros e profundos.
Escreves com o coração, ou seja, primeiro escutas o que ele te diz, e depois passas para papel a caneta :b
Isso é uma verdadeira escritora :)
Seguir *